ホーム | CULTURA JAPONESA

CULTURA JAPONESA

CULTURA JAPONESA
Entendendo o Japão

Uma análise dos acontecimentos atuais, sua história e cultura

Cultura Japonesa

Cultura Japonesa

O livro, Cultura Japonesa – Uma análise dos acontecimentos atuais, sua história e cultura, foi publicado em 23 de janeiro de 2016, em japonês e português, pela Editora Jornalística União Nikkei, em parceria com a Biblioteca Jovem de São Paulo, é uma coletânea de textos veiculados semanalmente, aos sábados, na coluna cultural “Curso para Formação de Japoneses da Geração Internacional” do jornal diário de língua japonesa da comunidade, Jornal Nikkey Shimbun.

A coluna que apresenta a mentalidade original japonesa, sua cultura e sua história, tem atraído muitos leitores de modo que a redação vinha recebendo constantemente comentários de leitores desejando a tradução dos textos para o português para que os filhos e netos também pudessem ler. Atendendo esse desejo e após inúmeras tentativas,finalmente a publicação em ambas as línguas se tornou possível graças.a cooperação da Biblioteca Jovem de São Paulo.
Os textos em japonês vem com a formatação que facilita o leitor na interpretação dos kanjis que foi desenvolvido pensando principalmente naqueles que compreendem o básico, mas que têm dificuldade em decifrar os ideogramas. Os textos traduzidos para o português para aqueles que não conhecem o idioma, mas querem descobrir um pouco mais sobre a cultura japonesa, como os não decendentes que trabalham em multinacionais japonesas.
O livro está à venda (R$35,00) nas livrarias do bairro da Liberdade, em São Paulo (Livraria Sol, Livraria Fonomag e Livraria Takano) e no Centro de Língua Japonesa.

Foram extraídos para esta edição cinco temas, entre eles, o texto inédito “É nas crises que se revela o caráter nacional: o dever público e o grande terremoto da costa leste japonesa”, no qual retrata a dedicação da população, desde soldados convocados pela Força de Autodefesa Japonesa que dirigiram para a área de desastre independentemente de suas residências também terem sido afetadas, a empresas que imediatamente passaram a trabalhar na recuperação e regularização do fornecimento de serviços básicos, como energia elétrica, gás, serviços de entregas rápidas e comércios. O trecho que se refere à “transmissão sobre alerta de desastre até o final”, não dá para ler sem se emotional. Do edifício da secretaria de prevenção de desastres do município de Minami Sanriku, da província de Miyagui, a funcionária de 24 anos, Miki Endo, permaneceu transmitindo o alerta de evacuação à população local até pouco antes do tsunami atingir o prédio onde se encontrava. Ela, em troca de sua vida, salvou inúmeros cidadãos. Embora não conste no texto, o seu supervisor Takeshi Miura também continuou a transmissão até o último momento em que foi engolido pelo tsunami. É um livro que mexe com emoções pela natureza dos japoneses que cumprem suas missões corajosamente mesmo em situações de risco.

【共同】がれきが散乱した市街地を歩く被災した家族=2011年3月13日午前11時6分、宮城県南三陸町

【共同】がれきが散乱した市街地を歩く被災した家族=2011年3月13日午前11時6分、宮城県南三陸町

【共同】大津波にのみ込まれ、骨組みだけになった宮城県南三陸町の防災対策庁舎=2011年3月13日

【共同】大津波にのみ込まれ、骨組みだけになった宮城県南三陸町の防災対策庁舎=2011年3月13日

 
Albert Einstein

Albert Einstein

O capítulo “O Japão que Einstein viu” que se trata de quanto ele ficou impressionado com o país e seu povo quando visitou O Japão em 1922, que ofez pensar, entre outras inúmeras impressões registradas, de que ‘não existe outro povo com tamanho interesse em matemática e física como este’.

No Japão existe uma construtora chamada Kongo Gumi que ostenta 1.400 anos de atividade. Foi fundada no ano de 578, por Shigemitsu Kongo, um dos três carpinteiros especializados em construção de templos recrutados do outro lado do mar, da região então conhecida como País de Kudara, atual península da Coréia, pelo Príncipe Shotoku (574-622), para a construção do templo budista Shitennoji. Estima-se que existam mais de 100 mil empresas fundadas há mais de 100 anos como esta. O texto “A Revolução Tecnológica das Empresas Tradicionais” aborda o segredo de tal longevidade das empresas de pequeno e médio porte do Japão.

Há também, além de assuntos do Japão, capítulo que se refere à imigração japonesa no Brasil. Trata-se da história de formação da Colônia Hirano, que completou 100 anos em agosto de 2014, retratada por Koichi Kishimoto, em “Colônia Hirano – cadáveres por toda parte, cena dantesca, oitenta vítimas em apenas três meses”.

Quem sabe os filhos e netos que normalmente não demonstram muito interesse na cultura japonesa, ao receberem de presente esta obra, não passem a ver o Japão com diferentes olhos. O livro também poderá ter diversas utilidades, tais como, complemento didático nos cursos de idioma japonês ou como presente para parentes sem ascendência japonesa, e inclusive para brasileiros não descendentes que trabalham nas empresas japonesas.